Após o depoimento da mãe do pastor Anderson do Carmo, brutalmente assassinado no dia 16 do mês passado, mais um teoria foi comprovada.

O advogado Ângelo Máximo, representa Maria Edna Virgínio do Carmo, e Michele do Carmo, respectivamente, mãe e irmã de Anderson. Ele defende que o pastor reclamava de mal-estar porque estavam tentando matá-lo . O advogado diz que antes do crime que o matou, o pastor vinha sofrendo atentados e envenenamento. “Toda substância química que causa lesão ao corpo é envenenamento”, explica. Ele acrescenta que não teve acesso às investigações.

+ Após fim do casamento com Magno, Lauriete pode estar “conhecendo alguém”

Dona Edna do Carmo prestou depoimento na última quarta-feira (23), e confirmou a hipótese, que havia sido levantada por um do filhos do casal Flordelis e Anderson, que disse em depoimento que o pastor vinha reclamando de que passava mal quando comia em casa ou tomava remédios administrados pela cantora gospel.

“Vamos pedir que a delegada Bárbara Lomba investigue o que o filho do pastor e a mãe disseram. Houve uma tentativa de homicídio não consumada por vontade alheia aos seus algozes”, diz. Ângelo Máximo acrescenta que o depoimento da mãe de Anderson, Maria Edna, foi positivo, esclarecedor, estarrecedor e comprometedor.

+ Imunidade tributária das igrejas? Qual a importância?

No entanto, a assessoria de Flordelis disse que o assunto já foi comentado pela cantora durante a coletiva de imprensa. Na época, a cantora justificou dizendo que o marido tinha crise de ansiedade, e possuia exames recentes que comprovavam a sua declaração.

 

O Fuxico Gospel