Safra desta temporada está aquém do esperado e mantém preço do quilo elevado

Pescadores artesanais de Florianópolis capturaram um cardume com 600 tainhas na manhã desta sexta-feira (21) na praia do Campeche, no Sul da Ilha. Foi um alento em uma temporada até agora bem abaixo do esperado. O calor fora de época retarda a migração dos peixes.

— Nós estamos muito ansiosos, porque o tempo não tem colaborado. Na pesca artesanal, em Santa Catarina, nós precisamos do "ritual" climático. Com frio e vento sul. O que ainda não aconteceu. A gente está com esperança que a partir de hoje melhore — afirmou Ivo Silva, da Federação dos Pescadores, em entrevista ao Estúdio CBN Diário desta sexta.

Com a pesca em pequena quantidade, o quilo da tainha varia entre R$ 15 e R$ 20. A expectativa é de que o valor caia para R$ 8 se a safra melhorar.
Nesta semana, com o registro de temperaturas baixas, aumentou a expectativa dos pescadores com o resultado da safra nesta temporada, que começou no dia 1º de maio para a modalidade de pesca artesanal. A previsão dos pescadores é de duas mil toneladas.

— No ano passado, na mesma época, já tínhamos capturado 1100 toneladas. Mais de 50% da estimativa. Este ano, nós estamos com apenas 41 toneladas — comenta Ivo Silva.

Nesta época do ano, as tainhas migram da Lagoa dos Patos (RS) para o mar aberto para desovar entre a costa Norte do Rio Grande do Sul e o Norte catarinense, onde formam grandes cardumes. A desova ocorre entre final de outono e começo de inverno, com picos nos meses de maio e junho, podendo se estender até setembro.

Por Redação CBN Diário