Um dos balneários mais populares do Pará é uma ilha, muito frequentada aos fins de semana, graças à proximidade em relação à capital. São 16 praias de rio em sequência,

algumas delas com melhor estrutura para turistas, como Chapéu Virado, do FarolMurubira e Paraíso. A água tem algumas particularidades, como a coloração marrom e a possível presença de arraias (que têm ferroada bem dolorida). Na Vila de Mosqueiro não há praia para banho, mas o turista pode provar a típica tapioca molhada na Tapiocaria da Vila.

Ilha de Mosqueiro oferece praias de rio com ondas no verão paraense

Estimativa da agência distrital é que ilha receba 500 mil visitantes.

Veranistas aquecem economia do turismo local.

A ilha de Mosqueiro, distrito de Belém que fica a 72 km do centro da capital, é um dos destinos mais procurados pelos veranistas durante as férias escolares. De acordo com a agência distrital, a expectativa é que meio milhão de pessoas lotem as praias da ilha no mês de julho.
"Nós temos uma opção de mais de vinte praias, e todas estão aptas para banho. Temos rios, igarapés, a nossa rica gastronomia e a nossa cultura, que contagia a todos", explica Beto Messias, agente distrital.

Economia de verão
O aumento no movimento faz com que a economia do turismo fique aquecida durante o mês de julho. Michele Araújo vende lanches na praia do Murubira, e conta que precisa contratar mais cinco funcionários para atender a demanda das férias. "Espero bastante clientes. O movimento começa depois do dia 10, quando Mesqueiro fica todo tempo cheia", conta a autonoma, que oferece pães, mingau e as famosas tapioquinhas da ilha - a mais pedida, segundo ela é a com recheio de queijo e presunto, que custa R$ 10.

O ambulante Anderson Moraes aproveita o sol para faturar colorindo o céu da ilha com suas pipas, que custam em média R$ 7. "O preço depende do tamanho da rabiola e do choro do cliente. Eles choram bastante, né? Mas quem tem criança geralmente compra, e alguns adultos também", explica o vendedor.

Fugindo da cidade
As estudantes Brenda Carvalho e Aline Costa moram no bairro da Sacramenta, em Belém, mas alugaram uma casa no distrito para fugir da cidade no mês de julho e passar o verão com a família. "Eu faço academia todos os dias de manhã, depois venho correr na praia e às vezes dou um 'balão' de noite, uma voltinha. A gente vem curtir a família, todo mundo" , explica Brenda.

 

Economia de verão
O aumento no movimento faz com que a economia do turismo fique aquecida durante o mês de julho. Michele Araújo vende lanches na praia do Murubira, e conta que precisa contratar mais cinco funcionários para atender a demanda das férias. "Espero bastante clientes. O movimento começa depois do dia 10, quando Mesqueiro fica todo tempo cheia", conta a autonoma, que oferece pães, mingau e as famosas tapioquinhas da ilha - a mais pedida, segundo ela é a com recheio de queijo e presunto, que custa R$ 6.

Vendedor de pipas diz que preço varia 'conforme choro do cliente' (Foto: Thais Rezende / G1 Pará)
Vendedor de pipas diz que preço varia 'conforme choro do cliente'; (Foto: Thais Rezende / G1 Pará)
O ambulante Anderson Moraes aproveita o sol para faturar colorindo o céu da ilha com suas pipas, que custam em média R$ 4. "O preço depende do tamanho da rabiola e do choro do cliente. Eles choram bastante, né? Mas quem tem criança geralmente compra, e alguns adultos também", explica o vendedor.

Fugindo da cidade
As estudantes Brenda Carvalho e Aline Costa moram no bairro da Sacramenta, em Belém, mas alugaram uma casa no distrito para fugir da cidade no mês de julho e passar o verão com a família. "Eu faço academia todos os dias de manhã, depois venho correr na praia e às vezes dou um 'balão' de noite, uma voltinha. A gente vem curtir a família, todo mundo" , explica Brenda.

O militar aposentado Jorge Gomes tem casa em mosqueiro, e se muda com toda família para a ilha durante o mês de julho. "Entre Salinas e Mosqueiro, eu prefiro Mosqueiro. Primeiro pela distância, e também porque é um sinônimo de saúde para nós. Todos os dias de manhã venho com meu cachorrinho venho fazer a minha caminhada na praia. Mente sã e corpo são, e a praia do Chapéu Virado é o cenário perfeito", afirma.

A professora Elane Galvão também se mudou, no começo da semana, para a ilha de Mosqueiro. Para garantir o banho de rio com conforto e praticidade ela conta que traz água de coco e frutas de casa, garantindo a hidratação dos seus dois filhos. "Eu venho mais por eles. Eles adoram, principalmente o Ricardo, o maiorzinho, que gosta de tomar banho e brincar na areia. Mas a pequenininha já está se acostumando", disse.

Minha Praia
De sexta (8) até domingo (10) a praia do Farol recebe o projeto Minha Praia, uma parceria da TV Liberal com o Sesi que traz diversas atividades para o veranista em Mosqueiro.

“Vamos ter xadrez gigante, circuito funcional, vôlei, mini basquete, pinturas, jogo de bilhar, totó, aulão de ginástica, manbol - que é um esporte muito nosso, paraense... uma gama de atividades para todo mundo estar presente", explica Maurício Quintairos, coordenador do Sesi.
A professora Telma Bezerra dá aulas de educação física para alunos com necessidades especiais em Mosqueiro e, sabendo da programação, levou 19 crianças e jovens com deficiências físicas e intelectuais para a praia. Mesmo de férias, os alunos curtiram a programação organizada pela TV Liberal e Sesi.

"Para nós é uma grande satisfação estar aqui. Vai dar um melhor condicionamento para eles, e é uma participação lúdico-recreativa, então só tem a beneficiar o treinamento que a gente realiza há 3 anos em Mosqueiro. A gente fez salto em distância e treinamento de pelotas. Eles vão participar da paralimpíada estadual em agosto e tem muitas chances de ganhar", comemora.

Como chegar
Para chegar até a “bucólica”, como é apelidada carinhosamente a ilha, é preciso sair da cidade pela rodovia BR-316 e passar pelos municípios de Ananindeua e Marituba. Chegando em Benevides, o veranista faz um desvio para pegar a rodovia estadual PA-391, cruzando Santa Bárbara até a ponte de Mosqueiro. Da ponte até o centro do distrito são 20km pelas rodovia Augusto Meira Filho e avenida 16 de novembro, que leva até a praia do Chapéu Virado. Se seguir pela avenida, o veranista pode chegar na Vila e Mosqueiro, famosa pelo seu centro de gastronomia popular onde são servidas as famosas tapioquinhas de Mosqueiro. Outra opção é ir de ônibus, cuja frota foi reforçada durante os fins de semana.

G1PA