A Ressurreição de Jesus é o nome dado à fé cristã de que Jesus Cristo retornou à vida no domingo seguinte à sexta-feira na qual ele foi crucificado. É uma doutrina central da fé e da teologia cristã e parte do Credo Niceno: "Ressuscitou dos mortos ao terceiro dia, conforme as Escrituras".

A ressurreição de Jesus está no centro da mensagem do evangelho. Através da morte e ressurreição de Jesus temos acesso à salvação e à vida eterna, se cremos nele. Mas nossa fé na ressurreição de Jesus não precisa ser cega. Existem várias evidências que podem nos ajudar a fortalecer nossa fé:

1. O número de relatos
A história da ressurreição de Jesus não foi uma lenda contada com poucos detalhes. Na Bíblia temos quatro relatos detalhados do que aconteceu (nos quatro evangelhos), com datas, localizações e testemunhas! Se fosse apenas uma lenda, não teriam oferecido tantos detalhes exatos para investigação dos fatos.

Mateus e João eram apóstolos e cada um deles escreveu sobre a ressurreição de sua própria perspetiva. De acordo com uma tradição antiga, Marcos escreveu seu relato da ressurreição baseado no testemunho do apóstolo Pedro, a quem acompanhou em seu ministério. No início de seu evangelho, Lucas afirmou que tinha investigado tudo com cuidado, para confirmar o que testemunhas oculares tinham dito. Esses quatro relatos foram escritos a partir de testemunhos em primeira mão da ressurreição.

Os quatro testemunhos dos evangelhos concordam em todos os fatos principais: Jesus foi julgado, levado a Pilatos, crucificado, sepultado no mesmo dia, e ressuscitou no domingo, sendo visto por várias pessoas nesse dia. Mas, ao mesmo tempo, cada um dos testemunhos acrescenta detalhes diferentes, que completam a história. Isso mostra que não se limitaram todos a copiar a informação da mesma fonte. Cada pessoa se lembrou de detalhes diferentes, como na vida real.

Alguns séculos depois da ressurreição de Jesus, os líderes das igrejas se reuniram para investigar quais relatos eram dignos de confiança. Muitas pessoas tinham escrito sobre a ressurreição mas apenas os relatos com origem comprovada de testemunhas próximas de Jesus e dos apóstolos foram aceites para integrar a Bíblia. Além de todos os outros relatos menos dignos de confiança que não entraram na Bíblia, temos o testemunhos de várias pessoas da época do início da igreja que relataram que os cristãos acreditavam que Jesus tinha ressuscitado, como Flávio Josefo. Isso mostra que a crença na ressurreição de Jesus surgiu logo no início do Cristianismo, não como lenda mais tardia.

Descubra aqui mais sobre como os livros da Bíblia foram escolhidos.

2. A morte de Jesus
Sem a morte, não haveria ressurreição. Era impossível sobreviver a uma crucificação, depois de levar uma valente sova (que já por si poderia ser letal). Ainda por cima, os soldados verificaram o estado das três pessoas crucificadas e espetaram uma lança no lado de Jesus para garantir que estava morto, antes de entregar o corpo para ser sepultado (João 19:33-34). Jesus não poderia ter sobrevivido e recuperado a tempo de se apresentar (de pé) aos discípulos três dias depois.

Várias pessoas estiveram presentes na morte de Jesus, incluindo inimigos seus. Algumas mulheres seguiram os acontecimentos todos e só foram embora depois que viram onde Jesus tinha sepultado (Lucas 23:55-56). Por isso, elas não podem ter se enganado no lugar do enterro no domingo, encontrando o túmulo errado. Elas sabiam onde procurar o corpo.

Veja aqui: como foi a morte de Jesus na cruz?

3. O túmulo vazio
O corpo de Jesus desapareceu e nunca foi encontrado. Seus inimigos disseram que o corpo tinha sido roubado (Mateus 28:12-14). Mas esses mesmos inimigos tinham enviado um destacamento de soldados para guardar o túmulo o tempo inteiro, para evitar que o corpo fosse roubado.

Seria altamente improvável que vários soldados treinados treinados tivessem adormecido em serviço, com um sono tão profundo que não acordaram quando os discípulos removeram a pedra grande da entrada. E seria ainda mais impensável que eles tivessem abandonado seu posto ou fugido com medo de um bando de camponeses desorganizados.

A morte de Jesus apanhou todos os seus seguidores de surpresa. Eles não teriam tempo para organizar uma operação de roubo do corpo em um único dia, mesmo se a ideia surgisse depois do choque inicial. E não era do interesse de mais ninguém fazer o corpo desaparecer.

A Bíblia diz que o corpo de Jesus não foi encontrado porque ele ressuscitou. Ele tinha claramente morrido e agora seu corpo tinha desaparecido sem nenhuma explicação natural possível. Resta apenas a explicação sobrenatural.

Leia também: o que aconteceu na ressurreição de Jesus?

4. As testemunhas
Muitas pessoas diferentes viram Jesus vivo, depois de sua morte na cruz. E não foram apenas visões. Essas pessoas tocaram em Jesus, conversaram com ele e viram-no comer.

A Bíblia diz que mais de 500 pessoas viram Jesus quando ressuscitou, além dos apóstolos (1 Coríntios 15:4-7). Muitas dessas pessoas ainda estavam vivas para confirmar a história quando foi escrita. De todas essas testemunhas, ninguém voltou atrás nem desmentiu o que tinha visto. Algumas dessas pessoas até foram mortas por dizerem que Jesus estava vivo! Ninguém continua a defender uma coisa que sabe que é mentira quando isso lhe vai custar a vida. Eles realmente acreditavam que tinham visto Jesus.

As aparições de Jesus depois de sua ressurreição também não têm as marcas de uma alucinação. Em casos de alucinações coletivas, a visão que as pessoas têm costuma ser estranha e meio surreal. Ninguém em uma situação dessas já afirmou que tinha tocado na alucinação, nem que tinha tido uma conversa sensata com ela, nem que a alucinação tinha almoçado com eles. Os discípulos viram uma pessoa real, que eles reconheceram como Jesus.

5. A conversão de Paulo
Quando era jovem, Paulo era um judeu devoto que se escandalizava com o ensinamento dos cristãos sobre Jesus. Para ele, os cristãos eram hereges que precisavam ser silenciados. Ele ia de cidade em cidade, prendendo cristãos, e até participou da morte de um cristão chamado Estêvão. Perseguir cristãos se tornou sua grande missão na vida.


No entanto, um dia tudo mudou. De repente, Paulo passou de perseguidor de cristãos a defensor ousado da fé cristã! O que mudou? Paulo teve um encontro com Jesus. Na visão que teve, Paulo ouviu Jesus falando com ele e ficou convencido que era verdade (Atos dos Apóstolos 9:4-6).

Só algo muito poderoso poderia ter mudado o pensamento de Paulo. Sua vida nunca mais foi a mesma. E, tal como Paulo, muitas outras pessoas ao longo da História tiveram suas vidas transformadas por Jesus. A ressurreição de Jesus muda vidas.

Como vimos, existem várias razões para acreditar que Jesus ressuscitou de verdade. Mesmo assim, depois de analisar toda a evidência, cada pessoa precisa decidir por si própria se vai crer em Jesus e entregar sua vida a ele. Mas esse passo de fé não precisa ser cego.

 

Como foi a ressurreição de Jesus?

A ressurreição de Jesus é o marco central do evangelho. Jesus morreu na cruz e ressuscitou três dias depois. A ressurreição foi um acontecimento milagroso presenciado por várias pessoas e relatado no Novo Testamento.

A ressurreição de Jesus
Antes de sua crucificação, Jesus já tinha avisado que precisava morrer pelos pecados da humanidade. Os inimigos de Jesus conspiraram contra ele e o crucificaram na época da Páscoa, na sexta-feira. Mas Deus usou tudo isso para cumprir Seu plano...

Jesus morreu e foi sepultado na sexta-feira. Uma grande pedra foi colocada sobre a entrada de seu túmulo, que também foi lacrado. Além disso, um destacamento de soldados ficou a guardar o túmulo, para que ninguém roubasse o corpo (Mateus 27:66).

No terceiro dia, ao domingo, logo de madrugada, houve um terremoto e um anjo retirou a pedra do sepulcro. Os guardas caíram, cheios de medo. Quando algumas mulheres chegaram para ungir o corpo de Jesus, elas encontraram o túmulo vazio e o anjo lhes contou que Jesus estava vivo! - Marcos 16:6-7

Jesus também apareceu às mulheres e as mandou contar tudo aos outros discípulos. De início, os discípulos não acreditaram nas mulheres mas Pedro e João foram para o túmulo e viram que estava vazio (João 20:6-8). Mais tarde nesse dia, dois discípulos encontraram Jesus na estrada para um lugar chamado Emaús. Jesus conversou com eles e lhes explicou a razão da crucificação.

Jesus também apareceu várias vezes aos apóstolos e mostrou que estava vivo, deixando-os tocar em seu corpo e comendo comida (Lucas 24:38-40). A ressurreição de Jesus não foi apenas uma visão espiritual, ele ressuscitou fisicamente.


Ao longo de 40 dias depois de sua morte, Jesus apareceu várias vezes vivo e ensinou seus discípulos. Mais de 500 pessoas viram Jesus depois que ressuscitou! - 1 Coríntios 15:4-6

Por que a ressurreição de Jesus é tão importante?

A Bíblia diz que a ressurreição de Jesus é a base de toda a fé cristã. Se Jesus não ressuscitou, nossa fé é inútil, porque nossos pecados não foram perdoados (1 Coríntios 15:17-19). Quando Jesus ressuscitou, ele mostrou que o castigo do pecado estava completamente pago.

A ressurreição de Jesus mostrou que seu sacrifício na cruz foi perfeito. Como o preço foi todo pago, Jesus não podia continuar morto (Atos dos Apóstolos 2:24). Ele venceu a morte!

A morte de Jesus sem a ressurreição não tem muito valor. Muitos homens de Deus foram mortos mas nenhum ressuscitou para a vida eterna! Com sua ressurreição, Jesus provou que ele era mais que um bom homem; ele é o Filho de Deus.

A ressurreição de Jesus também prova que a ressurreição dos mortos é real. Assim como Jesus ressuscitou, um dia todos os salvos vão ressuscitar e ter a vida eterna (1 Coríntios 15:20-22). A ressurreição de Jesus é nossa esperança.