O Palácio do Planalto informou na noite de segunda-feira (26) que rejeitará ajuda de US$ 20 milhões, equivalente a R$ 83 milhões, prometidos pelo G7, o grupo de países mais ricos do mundo,

para auxiliar no combate a incêndios na Amazônia. O Planalto não informou o motivo para recusar os valores. O presidente Jair Bolsonaro e ministros têm dito que não há anormalidade nas queimadas e que países europeus tentam fragilizar a soberania do Brasil sobre a floresta. (Via Estadão)

- Macron fala em pedir status internacional à Amazônia

O presidente da França, Emmanuel Macron, questionou a conveniência de conferir um status internacional à floresta caso os líderes da região tomem decisões prejudiciais ao planeta. A fala de Macron é uma clara alusão ao presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que o acusou de ter uma ‘mentalidade colonialista’ por exigir uma ação internacional a respeito da região. (Via Estadão)

- Dodge suspeita de ação orquestrada em queimadas

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse ontem que há suspeita de ação orquestrada nos focos de incêndio que se espalham pela região amazônica e informou que o Ministério Público decidiu pedir a abertura de inquéritos para identificar e punir os responsáveis. Em campanha para ser reconduzida ao cargo para mais dois anos, a procuradora anunciou a criação de uma ‘coalização de atuação prioritária dos MPs brasileiros em defesa da floresta’. (Via Estadão).

Msn